Princesa de Papel de Erin Watt


Título: Princesa de Papel
Autora: Erin Watt
Editora: Essência/ Planeta Brasil
Páginas: 368
Skoob: Adicione

Sinopse: O primeiro livro da série The Royals, a nova sensação new adult dos EUA. Ella Harper é uma sobrevivente. Nunca conheceu o pai e passou a vida mudando de cidade em cidade com a mãe, uma mulher instável e problemática, acreditando que em algum momento as duas conseguiriam sair do sufoco. Mas agora a mãe morreu, e Ella está sozinha. É quando aparece Callum Royal, amigo do pai, que promete tirá-la da pobreza. A oferta parece tentadora: uma boa mesada, uma promessa de herança, uma nova vida na mansão dos Royal, onde passará a conviver com os cinco filhos de Callum. Ao chegar ao novo lar, Ella descobre que cada garoto Royal é mais atraente que o outro – e que todos a odeiam com todas as forças. Especialmente Reed, o mais sedutor, e também aquele capaz de baixar na escola o “decreto Royal” – basta uma palavra dele e a vida social da garota estará estilhaçada pelos próximos anos. Reed não a quer ali. Ele diz que ela não pertence ao mundo dos Royal. E ele pode estar certo. 


  Quando li a sinopse desse livro imaginei algo bem próximo de Boys over Flowers, que é um dorama que segue essa mesma linha de história, e que eu amo. Porém a realidade da leitura foi bem diferente do que imaginei. A história em si é muito boa e atraente mas o livro infelizmente é cheio de misoginia, machismo e preconceitos que eu julgo serem desnecessários numa leitura que é principalmente pro público jovem...
  Ella é uma adolescente que vive sozinha a algum tempo, após perder a mãe e não ter parentes próximos ela acaba por optando em ser manter sozinha, e a forma mais prática que encontra é se tornando Stripper nas noites. Até que um dia um homem muito rico aparece em sua escola e diz ser seu tutor legal, o nome dele é Callum Royal, um milionário muito famoso.

  O básico sobre a história é isso, contar mais seria dar muito spoilers e tudo que ninguém quer é spoilers né? Ella é uma personagem feminina de muita força interna, ela aguenta muita coisa que poucas pessoas em sua idade conseguiriam, tão jovem e já teve uma vida muito complicada e cheia de dor, e apesar de achar que ela é mais desconfiada do que deveria eu compreendo dada toda sua história. Os homens da mansão são Callum, o pai; Gideon, o filho mais velho que quase não está em casa mas mesmo quando está parece não saber se impor; Reed, o maior ódio de todo o livro; Sawyer e Sebastian os gêmeos sacanas e Easton que pra mim foi o menos pior. Pois bem, falei pouco de todos porque sinceramente descrever os irmãos é quase desnecessário, porque cada um deles faz cada cagada monstra que pra descrever direito eu teria usar palavrões e vou poupar vocês desse tipo de coisa.

 
   O livro não é um livro com história ruim, pelo contrário, temos uma personagem forte e dona de si mesma, com boa autoestima e muito amor próprio o que é ótimo de se ler. A escrita da autora é incrível e não foi à toa que terminei o livro em parte da madrugada. A questão toda é que infelizmente a própria autora foi estragando o livro quando optou por colocar exageros de misoginia e machismo. Em mais de 70% do livro Ella é chamada de vagabunda ou vadia e essas ofensas sempre tem a ver com o fato da garota ter sido stripper ou pela roupa que ela está usando, e o mais complicado é que mesmo sendo em excesso com Ella não é apenas essa personagem que ganha o rotulo, quase todas as garotas com um pouco mais de sua sexualidade aflorada acaba recebendo esses adjetivos ofensivos. E senão fosse apenas isso, piora quando em uma cena acontece algo ABSURDO e nem a própria Ella que sofre todos os dias com o machismo dos homens Royal não abriu a boca pra falar nada, achei que sinceramente faltou mais respeito a personagem que foi literalmente enganada na cena e isso me mostrou que também faltou respeito da autora ao escrever isso como se fosse ‘’comum’’ ou ‘’coisa de homem adolescente’’ que pra mim não só não colou como me senti muito ofendida. Também não gostei muita da romantização da agressão. Sabe aquela ideia de que ‘’quem bate ama?’’ pois é, é basicamente isso que o livro passa quando Ella é acusada, xingada e maltratada quase o livro todo e no final quem mais abusou psicologicamente é um ‘’pobre coitado apaixonado’’, e usar o sofrimento do personagem como desculpa não colou...

   Princesa de Papel poderia ser um livro muito bom, tinha tudo pra ser, e a editora fez um trabalho lindo nessa edição mas infelizmente é tanta coisa desanimadora, tanto preconceito e situações inacreditáveis, que não recomendaria o livro, infelizmente não acho que a leitura deva ser feita por jovens porque ele passa muitos ideais errados e romantiza situações nada saudáveis, além de reforçar que toda mulher realizada com sua sexualidade é vadia. Essa é minha opinião logicamente, vocês podem ler e tirar suas conclusões, como sempre digo cada um vê a sua maneira, apenas deixei claro que minha visão infelizmente foi essa e que me decepcionei com a obra.
Obs: O livro tem gatilhos com relação a violência sexual, cuidado.

Nota:











16 comentários:

  1. A história em si não é ruim, mas as questões machistas e a linguagem xula que a autora usou não jogaram a favor do livro. Eles são adolescentes, mas tem comportamento de adultos e não sofrem as consequencias. Isso é ruim. Me incomodou muito que a Ella sendo uma personagem forte, engolisse que a chamassem de vadia e a sexualizassem o tempo todo. Digo, ela é um ser humano sabe? Achei a história pesada, me deixou bem enjoada quando eu li. Terminei de ler todos os livros dessa série antes de serem lançados e só piora. As coisas ditas e feitas são horríveis e a autora trata como algo normal. Eu não recomendo esse livro pra ninguém.

    ResponderExcluir
  2. A primeira vez que vi este livro ele não me chamou a atenção. Agora lendo sua resenha cheguei a conclusão que ele não seria uma leitura agradável para mim.


    Blog Profano Feminino

    ResponderExcluir
  3. Oi, a história não é ruim mesmo, tanto que ela poderia usar a premissa de uma forma maravilhosa. Não sabia desses "detalhes" ruins, mas será que isso não tem a ver com o tempo em que a história se passa? Onde o patriarcalismo e o machismo predominavam? Eu ainda desejo ler esse livro, apesar desses "detalhes". E prometo voltar e ver se concordo contigo. Eu também achei trabalho editorial lindo demais!!!

    www.porredelivros.com

    ResponderExcluir
  4. Olá, já havia lido outra resenha que alertava sobre esses mesmo pontos que você destacou na resenha, e depois de ler a sua eu fico triste de existir uma obra que romantiza tanta coisa que não é legal e contra a qual tantas mulheres lutam há tanto tempo.

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Já li vários comentários sobre este livro, mas nunca senti vontade em lê-lo. E agora com sua resenha é que desanimei mesmo, rs.
    Beijo
    Cássia Pires.

    ResponderExcluir
  6. Olá tudo bem?
    Gostei muito do livro,sua resenha ficou ótima,pena eu ainda não ter lido mais com certeza irei ler.um beijo.💋

    ResponderExcluir
  7. Nossa e a gente não espera o machismo todo vendo a capa e a sinopse, né? Eu gostei da premissa e acredito que a personagem deve ser forte.

    ResponderExcluir
  8. Paac, amor
    Depois de tudo que você me disse, mesmo a capa sendo bonita, vou passar correndo a história cheia de problemas. Não dá para gastar meu dinheiro com isso.

    ResponderExcluir
  9. Olha,Sua opinião como eu LI a postagem mesmo depois da sua crítica,EU gostaria de ler SIM,Embora você tenha colocado muitos pontos negativos sobre o livro a sinopse me chamou muita atenção,Então eu leria sim,Bjs.

    ResponderExcluir
  10. Oi Paac. Já li algumas resenhas diferentes, que acharam uma linda história de amor. E outras resenhas como a sua, com opinião semelhante. Mesmo nas resenhas de linda história de amor, dá para perceber que a relação entre os protagonistas não é saudável. Como o termo que você usou: quem bate ama, não consigo entender como alguém pode nutrir sentimentos por alguém que só joga o outro pra baixo e humilha. Na minha cabeça isso não entra, esse tipo de romantização. é uma relação doente. Fico triste pela autora ter criado algo assim. Parabéns pela resenha, beijos!

    ResponderExcluir
  11. Olá Paac, lendo a sua resenha percebi que esse não é nem de longe o meu tipo de leitura, dispenso enredos com tantos problemas como esse mesmo tendo uma personagem forte como você comentou. Por isso vou deixar passar sua dica.

    ResponderExcluir
  12. Eu não tive essa visão quando li, mas é como você disse, cada um vê as coisas de um jeito. E sim, sei qual é a cena em que acontece algo absurdo e a respeito dessa eu realmente tenho que concordar, aquilo passou de todos os limites.

    ResponderExcluir
  13. Oi. Pela sinopse já não tinha me chamado tanto a atenção, e lendo sua resenha desanimei mais ainda. Misoginia e machismo abordados insistentemente não parecem muito agradáveis de se ler.
    O que gostei foi da capa *-* Está muito lindinha com esse marcador :)

    ResponderExcluir
  14. O livro foge completamente do que eu tinha imaginado. Socorro. Achei uma porcaria isso do machismo ser muito presente, A Autora perdeu a chance de ser diferente aí né :(
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  15. Só li opiniões positivas sobre este livro até o momento, e foi ótimo encontrar uma visão ressaltando pontos diferentes e me dando uma nova visão da história.
    Acho que deveriam ter tido mais cuidado ao classificar o livro para jovens já que ele passa ideias erradas e preconceituosas.
    Ótima resenha.

    Até mais!!
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem?
    Bom, eu ainda não cheguei a concluir a leitura, estou lendo em e-book e por isso estou demorando um pouco, mas até agora as minhas conclusões é que sim ele tem uma linguagem muito machista, fiquei nervosos o tempo todo lendo os comentários dos rapazes, eles tratam a protagonista com uma ideia totalmente preconceituosa e não sei como ela não vê aquilo. Vou ver se finalizo logo para tirar as conclusões, mas de fato eu tinha várias expetativas nele, a capa realmente deixa a enganar.

    Beijos,
    http://www.justificou.tk/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.