Meio Mundo: Mar Despedaçado #2 de Joe Abercrombie


Título: Meio Mundo: Mar Despedaçado #2
Autor: Joe Abercrombie
Editora: Arqueiro
Páginas: 368

Sinopse: Os tolos alardeiam o que vão fazer. Os heróis fazem.
Thorn Bathu não é uma garota comum. Mesmo tendo sido criada numa sociedade machista, ela vive para lutar e treina arduamente há anos. Porém, após uma fatalidade, ela é declarada assassina pelo mesmo mestre de armas que deveria prepará-la para as batalhas. Para fugir à sentença de morte, Thorn se vê obrigada a participar de um esquema do ardiloso pai Yarvi, ministro de Gettland. Ao lado dela se encontra Brand, um guerreiro que odeia matar, mas encara a jornada como uma chance de sustentar a irmã e conquistar o respeito de seu povo. A missão dos dois é cruzar meio mundo a bordo de um navio e buscar aliados contra o Rei Supremo, que pretende subjugar todo o Mar Despedaçado. É uma viagem desafiadora, em que Brand precisa provar seu valor e Thorn fará o necessário para honrar a memória do pai e se tornar uma verdadeira guerreira. Guiando os personagens por caminhos tortuosos em busca de amadurecimento e redenção, Joe Abercrombie mais uma vez nos maravilha com uma história grandiosa, que se sustenta sozinha por seu vigor, mas também dá continuidade à saga de Gettland e Yarvi. Finalista do prêmio Locus, Meio Mundo deixará o leitor na expectativa do desfecho desta série épica.


 As vezes o segundo livro acaba decepcionando os leitores, mas não é o que acontece em Meio Mundo, na verdade o livro foi melhor do que imaginei.
  Meio Mundo é o segundo livro da trilogia Mar Despedaço que se iniciou nos apresentando o Yarvi, um garoto que nasceu com uma deficiência em uma de suas mãos e por esse motivo sempre foi menosprezado pela família e pelo reino ao qual pertencia. No primeiro livro (Resenha Aqui) acompanhamos toda a trajetória de Yarvi perante situações ruins e traições que o forçaram a se adaptar e seguir. Meio Mundo se desenrola alguns anos após o desfecho de Meio Reio e vamos acompanhar a história de Thurn Bathu, uma garota que cresceu contrariando os ensinamentos e ideais de sua mãe e decidiu que queria ser uma forte e destemida guerreira, e por anos estudou e treinou para isso. Porém por ambição – e creio eu que por pura maldade também, de seu treinador ela acaba sendo tida como assassina e para não morrer deve embarcar numa missão navegando por meio mundo na busca de aliados para a guerra.

  Joe Abercombrie segue basicamente a mesma linha de pensamento do livro anterior, sua narrativa continua muito fluída – na verdade achei esse segundo livro ainda melhor do que o primeiro, porque ao lermos sob a perspectiva de Thurn notamos que tudo ocorre de forma mais rápida, dinâmica diferente do que vimos sob a perspectiva de Yarvi. Thurn é uma personagem que dentro do contexto histórico apresentado é um simbolismo de força feminina, determinada a ser o que sempre sonhou, luta com garra pra tornar esse sonho realidade, e dentro da história ela tem seu papel e nada se sobrepõe a isso. Brand, outro personagem de suma importância na história, foi o salvador de Thurn, mas ele também vai além disso, sua história de vida e sua busca por melhoria de sua vida e da irmã o tornam um verdadeiro guerreiro e um homem de muito valor e caráter, o que dentro de todo o contexto é algo bom de ver. Yarvi foi o personagem decepção do livro, eu esperei um pouco mais dele, e não consegui me apegar a ele nesse livro como me apeguei no primeiro, acho que sua construção ficou um pouco falha pela imagem “ruim” que o personagem agora passa.

   O livro tem seus pontos positivos e negativos, acho que os excessos de descrições de golpes foram um pouco exagerados, sei que o livro é de fantasia e que os momentos são de guerra, mas tudo em excesso pode ser tornar cansativo e por isso minha nota pra ele caiu um pouco, porque nem todos os leitores de fantasia gostam de se focar apenas nas lutas, ou ficar lendo sobre detalhes das lutas – e eu sou uma dessas haha. Mas em contraponto a forma como Thurn vai se desenvolvendo e criando suas relações e posições de força na obra mais o fato de o autor não deixar seus outros personagens apenas como puras bases pros principais e até mesmo a mudança sutil (mas perceptível) na personalidade de Yarvi tornam o livro muito bom de ser lido. Ler o primeiro e compreender esses pequenos detalhes aos poucos durante a leitura é o que torna o livro uma fantasia incrível.

"– Um homem que dedica todos os pensamentos a fazer o bem e nenhum às consequências...
– É um homem perigoso."


Nota:








15 comentários:

  1. Oiii Paac, tudo bem?
    Infelizmente dessa vez a obra não despertou minha atenção, fico feliz que tenha trazido a resenha para nós e as suas fotos ficaram incríveis, ótima resenha e sucesso Paac, por enquanto irei pular a dica.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Helloooo.
    Esse não é muito meu estilo de leitura, porém acho que um dia tentarei ler essa obra, que chato ter muita coisa descritiva sobre lutas e etc, acho que isso vai Me incomodar na leitura.
    Boas leituras. Muito boa sua resenha

    ResponderExcluir
  3. Olá,

    Confesso que não conhecia a série, mas deve ser porque não tenho muita empatia com fantasia/guerra. Fico feliz em saber que a continuação fora capaz de te agradar, pois já li tanta série que a continuação me desgastou muito. Eu já fiz a leitura de alguns livros do gênero e às vezes o que realmente me incomoda, é a cena de guerras, pois fico perdido e como esse é muito bem detalhado pode ser um problema para mim, por tanto, vou deixar a dica passar e recomendar para amigos! ♥

    → desencaixados.com

    ResponderExcluir
  4. 'acho que os excessos de descrições de golpes foram um pouco exagerados' isso às vezes, me incomoda nos livros de fantasia. Não li Meio Mundo: Mar Despedaçado, mas quero ter a oportunidade de ler.

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Temos essa resenha no Cia do Leitor, quando a resenhista o fez, fiquei de olho e muito interessada. O meu interesse se redobrou após a sua resenha. Gosto muito de personagens femininas fortes e cenas de guerra bem descritas, apesar de você ter escrito que houve exageros... Bom, devo ainda assim arriscar na leitura.
    Abs
    nizete
    Cia do leitor

    ResponderExcluir
  6. Eu não conhecia essa série, mas pelo que vi na sua resenha, me pareceu uma história interessante - mesmo sendo uma continuação do primeiro livro. Adoro livros com essa temática e certo que vou procurar pelo livro um.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Eu sou fanático por fantasias , mas essa obra não despertou interesse em nada. Talvez seja todo o universo de guerra , não curto muito. Mas dá pra perceber que o enredo apresenta uma construção bem legal. Talvez eu mude de opinião sobre a obra futuramente. Beijão !

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?
    Um dos motivos que me deixam sempre com pé atrás antes de começar uma série é o medo de que o primeiro livro seja ótimas, mas as continuações acabem decepcionando. Então, fico muito feliz de ver que este não foi o caso.
    Eu tenho muita vontade de ler Meio Rei, inclusive já tenho ele no kindle, e fiquei ainda mais empolgada ao ver que o segundo volume não decepciona. Eu também não curto muito quando o livro foca muito na guerra ou na descrição das batalhas. No entanto, deu para perceber pela sua resenha que, apesar disto, é um livro que vale a pena a leitura.
    Adorei sua resenha e espero poder começar essa série em breve.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Olá Paac, eu morro de vontade de ler essa série e é bom saber que esse segundo livro segue tão bom ou até melhor que o primeiro, excesso de descrição seja de batalhas e de cenários sempre são cansativos mesmo =/ Enfim, adorei a resenha e espero ter a chance de lê-lo em breve.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Paac!
    Como eu amo fantasia e não conhecia esses livros? Não sou muito fã de cenas de lutas, mas o que realmente me interessou foi que existe uma evolução psicológica do personagem entre um livro e outro.

    Beijos!
    Gatita&Cia.

    ResponderExcluir
  11. Parabéns. Duas resenhas comi sempre são muito boas. Mas como você bem sabe não é um tipo de leitura que me encha os olhos. Mas fico feliz que tenha gostado.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Oi Paac!
    Não tive vontade de ler essa série, mas gostei de saber que a protagonista é mulher!
    Bjus

    ResponderExcluir
  13. Oie
    não é um livro que eu leria por fugir do estilo que me atrai mas com certeza tem uma bela história e imagino que fãs irão amar

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Engraçado que normalmente eu não gosto de cenas de violência, mas no caso de lutas eu curto sim e gostei de como foram desenvolvidas nesse livro... Rs... O Yarvi me surpreendeu, e a Thorn e o Brand também, curti bastante a história e estou super ansiosa pelo desfecho, que torço para que chegue logo por aqui!

    ResponderExcluir
  15. Amei o post! Como eu disse na minha resenha, gostei muito da protagonista e da forma como ela foi construída! Amei a enxurrada de referências ao primeiro livro e, claro: Yarviii! *-*

    Abraços.
    Alex, do Um Bookaholic. <3

    umbookaholic.com | Canal | @umbookaholic: Twitter | Instagram

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.